Lu Oliveira

Eu não sei até onde eu posso ir com a música. Só sei que quero que ela me leve longe, muito longe. Lu Oliveira

Sobre a Lu

Uma voz com potência, emoção e verdade. O palco é o seu lugar, e o canto, sua vocação. Esta é Lu Oliveira, leonina nascida em 12 de agosto de 1980 em Niterói e criada desde bebê no seu querido e amado Rio de Janeiro. Cantora de timbre belo e sofisticado, carregado de alma, Lu leva para o seu trabalho o suingue e a intensidade herdadas da sua descendência brasileira e portuguesa, o que faz de seu canto, uma grande festa.

Suas primeiras lembranças musicais vêm dos fados portugueses cantados por seus avós e tios nos animados almoços de família. Já a influência brasileira veio, principalmente, do disco “Fascinação”, de Elis Regina, tocado diariamente na vitrola de sua mãe. Disco que a arrebatou de tal forma que o canto foi, desde criança, sua grande paixão.

Embora tenha se desviado de sua vocação por mais de 30 anos – Lu Oliveira se formou e exerceu Publicidade por quase 1 década – em 2010 a artista decide finalmente se dedicar inteiramente ao canto e aos palcos. Estreia profissionalmente em 2011 com o show “ABDC do Samba”, interpretando canções de Ary Barroso e Dorival Caymmi, com direção musical e arranjos do grande maestro e compositor Arthur Verocai.

Em 2013 Lu Oliveira lança seu primeiro e lindo CD, “Sou Eu”, independente, com produção musical de Zé Renato. “Uma cantora de timbre diferenciado, afinada e de bom gosto”, define o cantor e compositor. O disco contou ainda com arranjos de cinco músicos de peso no cenário musical nacional: Cristovão Bastos, Arthur Verocai, João Carlos Coutinho, Leandro Braga e Jaques Morelenbaum.

“Que discão, que brasilidade! Faz tempo, aliás, muito tempo, que não ouço um trabalho tão bom”, afirmou Roberto Menescal a respeito do CD de estreia da cantora. “Que desperdício não ter conhecido Lu Oliveira até hoje”, conclui Menescal.

Sou Eu é um disco de música popular brasileira, com predominância do samba, mas que também passeia por outros ritmos, bem brasileiros, como a bossa-nova, ijexá e baião. E seu nome – pinçado da primeira faixa do CD – , resume bem a essência do primeiro trabalho de Lu: respeitar sua verdade como intérprete e cantar o que mais ama: a música popular brasileira.

“Não são muitos os discos que recuo a “agulha“ ao início, mas o “Sou Eu” varou o fim de semana, cravando pra sempre a minha admiração. Lu Oliveira veio pra ficar, isso eu garanto”. (Moacyr Luz)

Além do álbum de estreia, Lu Oliveira já tem em sua discografia mais dois importantes trabalhos fonográficos: “Cartas Africanas” (2017), do bamba Moacyr Luz com o poeta gaúcho Carlos Di Jaguarão, onde interpreta 9 das 13 canções do CD; e o aclamado álbum “No Voo do Urubu” (2017), de Arthur Verocai. Neste disco, que contou com outras participações especiais de nomes como Criolo, Mano Brown e Danilo Caymmi, Lu Oliveira dá voz a um samba belíssimo de Verocai com seu parceiro Paulinho Tapajós (in memoriam) chamado “Minha Terra Tem Palmeiras“.

No final de 2018, a cantora recebeu um convite mais que especial: interpretar, ao lado das grandes cantoras Ana Costa e Dorina, canções da linda e poética obra da artista paraibana Socorro Lira, de quem Lu é fã e parceira. O disco “Na Lira da Canção“, lançado em 2019 pelo selo Ritmiza, tem direção artística de Mariana Baltar e arranjos e direção musical de Luiz Flavio Alcofra. 

Veja a discografia completa aqui: http://www.luoliveiraoficial.com.br/discografia/

Atualmente, Lu Oliveira está se dedicando à produção de um disco autoral, inspirado na sua relação afetiva com a música portuguesa, com previsão de lançamento para o 2º semestre de 2019.